Imposto de Renda complica suspeitas de sonegação fiscal sobre Aécio Neves

Segunda-feira 13, junho 2011

Em primeira mão no blog Os Amigos do Brasil em 13/06/2011 às 14:41 -

O mafioso Al Capone impunha a lei do silêncio com morte em Chicago, por isso ninguém testemunhava contra ele, mas ele foi para a cadeia justamente por causa de fraudes no Imposto de Renda.

Agora é o senador Aécio Neves (PSDB/MG) quem se vê encrencado para explicar a vida nababesca que leva, principalmente junto ao fisco.

Ele foi denunciado ao Procurador Geral da República, pelo bloco “Minas sem censura”, que encontrou evidências de fraudes para sonegar Imposto de Renda, nos desdobramentos do escândalo do “bafômetro”.

Agora, como reforço aos indícios, constata-se que o leão da Receita Federal bate na porta das empresas do senador tucano, para acertar umas contas:

A empresa N.C. Participações aparece na declaração de bens do senador:

 

Outras irregularidades da empresa geraram outros processos na Receita Federal:

 

 

A outra empresa (I.M Participações) também teve processos junto ao leão:

 

 

Antecedentes como pessoa física

Já no ano de 2000, o leão encontrou irregularidades nas contas do senador tucano junto ao fisco e teve que cobrar através do processo:

 

Espertalhões fraudam o fisco, deduzindo gastos de seus sonhos de consumo como se fossem despesas dedutíveis.

Você, cidadão comum, compra carro, paga IPVA, seguro, pneus, combustíveis, com seu salário líquido, depois de pagar o Imposto de Renda sobre a renda bruta.

A prestação do carro, o IPVA, o seguro, multas e etc., não são dedutíveis no Imposto de Renda. Muito menos jantares em restaurantes de luxo, bebidas, roupas de grifes, baladas e hotéis.

Mas existem espertalhões que tem uma empresa e contabilizam estas despesas pessoais de bom-vivant como se fossem despesas “a trabalho” da empresa.

Uma viagem de turismo é contabilizada como viagem a negócios. Um jantar romântico a dois regado a uísque escocês e champagne francesa é contabilizado como “despesas de alimentação no trabalho”. Um carro importado de luxo, Land Rover, para frequentar baladas nas madrugadas do Rio de Janeiro pode ser contabilizado como se fosse veículo de reportagem de uma rádio de Belo Horizonte.

Quando estas “despesas” de sonho de consumo pessoal, são contabilizadas como se fossem despesas para o funcionamento da empresa, caracteriza-se fraude, porque a “despesa” mascara e diminui o lucro da empresa e, consequentemente, diminui o Imposto de Renda sobre o lucro. O espertalhão também não paga o imposto de renda sobre essas “despesas” como pessoa física, pois o dinheiro para consumo não entrou na renda da pessoa, ficando como despesa da empresa.

É esse tipo de prática que a denúncia do bloco “Minas sem censura” quer apurar.





12 Comentários

  1. Rogério Bezerra /

    Na empresa que trabalheí em SP todas empreagados das casas dos donos eram registradas na empresa. Todas as despesas pessoais também. A firma não dava lucro… Mas de 2 em 2 meses um funcionário levava uma mala para MIAMI e depois BOSTON… Coisa honesta!
    A firma quebrou, claro! E o FGTS dos funcionários? Em Miami e Boston!

  2. Só espero que isso não seja engavetado!!
    Vamos esperar pra ver.

  3. Jose Emílio Guedes Lages /

    Mentira tem perna curta! É um dito popular muito comum nas Minas Gerais, portanto essas denúncias não deixam de ter um fundão de verdade. Ainda mais sabendo que a mentira grassa nessas Geraes há mais de oito anos, a imprensa local não fala nada contra, aliás é proibida de divulgar qualquer crítica, por mais simples que seja, ao governo estadua. Pior que na época da ditadura militar pois eles censuravam e pronto. Agora a censura é paga com o dinheiro público, um horror!

    Como já dizia o Nelson Rodrigues, toda unanimidade é burra e a luz no fim do túnel começa a aparecer com o “Minas sem Censura” para desmistificar essa burrice em forma de unanimidade em que se tornou o (des)governo de Minas nos dois últimos mandatos e nesse outro que se vai.

    Ps: por falar nisso, alguém já viu uma caricatura do Aécio Neves na imprensa mineira? E a do Anastasia? Na época do Itamar, o topete dele aparecia todos os dias assim como do Newton Cardoso, do Hélio Garcia…Por que será heim pessoal?

  4. Maria Iná /

    Quando teremos uma CPI para o Senador Balada?

  5. Kleber Carvalho - MG /

    Kd a Fóia, a Zóia e o Bobo?

  6. Graça Lago /

    Gente, que maravilha! Preciso urgente de uma confirmação: o apartamento do ilustre, na Av. Epitácio Pessoa, é na Lagoa, no Rio de Janeiro? Se for, quero comprar! Só 109 mil? Isso é preço de banana. Não tem quitinete na área por um precinho desse. É a maior pechincha da Históra. Ofereço 200!!!!!!!!!!!

  7. Orlando Bonetti Jr /

    Se for prá frente esta nova novela, será o sonho do Sr José Serra. Será que ele vai lançar um dossiê agora para atiçar a fogueira?

  8. E a nossa imprensa muito preocupada com o Palocci não vai nem publicar isto, mas com certeza vai querer saber quem quebrou o sigilo do senadôzim de Minas, o Aecim cheiroso.

  9. Jamilton /

    A imprensa mineira só poder ser financiada pelo Governo de Minas, não é possível, ela não fala nada sobre Aécio, Anastasia, nadica de nada. Agora espero que a justiça seja feita, esses pilantras terão que pagar por tudo aquilo que eles fazem contra os mineiros, em especial contras os professores.

  10. Cadê o Álvaro Dia$ esse aposentado pilantra para ir a tribuna do senado explicar, ACM Neto, José Agripino Neto, o falecido José $erra e o mais oportunista de todos a OAB num vai fazer nada vai esquecer é mais cômodo.

  11. Avel de Alencar /

    Esta foto do Aécio esta parecendo a foto do Serra, aquela da carabina.
    Ô tucanada que adora segurar um cano.

Deixe seu comentário

Você deve ser logado postar um comentário.

Retrospectiva Governo Lula

Arquivos

Amigos & Amigos