Brasil e os Responsáveis pela Crise

Sábado 9, abril 2016

 

Brasil e os Responsáveis pela Crise

Crescimento negativo de 4%

Desemprego — 12%

Saída de investimentos

Tentativa de alteração no processo constitucional

Últimos Anos

Corruptos e corruptores não tiveram os bens sequestrados. Ficaram mais ricos com aquilo que roubaram. O povo desempregado ficou mais pobre do que antes. Os que nunca trabalharam não vão mais conseguir trabalho. Os filhos dos pobres vivem na clandestinidade. Os filhos de corruptos e corruptores moram em casas luxuosas em Lisboa, Miami, Londres e outras cidades mais aprazíveis, como dinheiro do povo.

  • Sarney e a hiperinflação

  • Collor e os marajás

  • BANESTADO

    Denúncias surgidas durante as investigações sobre o escândalo dos precatórios, em 2003, acabaram dando início a outra CPI, para apurar evasão de divisas de cerca de US$ 30 bilhões por meio de títulos podres dos estados de Santa Catarina e Alagoas e de operações do Banestado (Banco do Estado do Paraná).

    A CPI terminou sem conseguir sequer analisar os documentos obtidos, que em vez de serem usados como provas foram utilizados como chantagem. Em 2013, a CVM aplicou multas em um valor total de R$ 2,9 milhões aos envolvidos.

    Envolvidos:

      A COAF nunca explicou quem são os evasores

    Prejudicados: Povo brasileiro

  • ESCÂNDALO DA PRIVATIZAÇÃO DA VALE

    A venda da Vale, em 1997, rendeu R$ 3,3 bilhões ao governo. O valor estimado na época do leilão era de R$ 92 bilhões, ou seja, valor 28 vezes maior do que o que foi pago pela empresa. O Consórcio Brasil, formado pela Companhia Siderúrgica Nacional, a Bradespar (do grupo Bradesco) e o fundo de investimentos Previ, arrematou 41,73% das ações por R$ 3,3 bilhões, o suficiente para assumir o controle da empresa. Circulam na Justiça ações que questionam a legalidade do leilão.

    Prejudicados: Povo brasileiro

  • PROER

    Programa com dinheiro público criado no Governo Fernando Henrique Cardoso para recuperar o caixa de bancos privados. Em valores atualizados, a dívida dos bancos aos cofres públicos chega a quase R$ 30 bilhões.

    Tentam ainda recuperar o prejuízo que deram ao país enquanto investidores e funcionários foram prejudicados.

    Banco Econômico, de Angelo Calmon de Sá, ainda quer R$ 5 bilhões que está esperando do Banco Central.

    Como ministro do Governo Geisel, emitiu cheques sem fundo sem nada ter acontecido.

    Beneficiado: Ele, que continua bem com sua fortuna

    • Ângelo Calmon de Sá
    • Banco Nacional
    • Banco Econômico
    • Banco Crefisul

    Prejudicados: Empregados, investidores e o povo brasileiro que paga na cadeia

  • LISTA DE FURNAS

    Caixa 2 que saía de Furnas para irrigar de dinheiro algumas campanhas eleitorais de 2002, de acordo com lista apreendida e verificada pela Polícia Federal, segundo reportagem da Folha de S.Paulo. Os valores apurados nas investigações somam aproximadamente R$ 70 milhões.

    Beneficiados:

    O PSDB e o DEM (antigo PFL) encabeçam a lista de beneficiados. Mas, de acordo com a lista de propina divulgada, os maiores beneficiados foram os senadores tucanos José Serra e Aécio Neves e o governador tucano Geraldo Alckmin. Os três citados se beneficiaram de mais de 50% do total desviado.

    Prejudicados: Povo brasileiro

  • TRENSALÃO

    Esquema de pagamento de propina e formação de cartel para disputar licitações do Metrô e da CPTM no Estado de São Paulo durante sucessivos governos de nomes do PSDB (Mário Covas, Geraldo Alckmin, José Serra) e do DEM (Cláudio Lembo). Nas estimativas do Ministério Público, o esquema pode ter dado prejuízos de aproximadamente R$ 1 bilhão aos cofres públicos.

    Envolvidos:

    Siemens, CAF do Brasil, Bombardier e Alstom

    Até agora, apenas executivos das empresas envolvidas foram denunciados. Os políticos cujos nomes frequentaram as páginas de jornais do escândalo do Trensalão, também conhecido como “Mensalão Tucano”, continuam isentos de qualquer culpa e livres de qualquer denúncia por parte do Ministério Público de São Paulo.

    Prejudicados: Povo brasileiro

  • MENSALÃO

    Esquema de pagamento de mensalidades a parlamentares com o objetivo de que aprovassem no Congresso Nacional os projetos do primeiro e do segundo ano do Governo Lula. Movimentou aproximadamente R$ 140 milhões.

    Corruptores:

    Silvio Pereira, Marcos Valério, Delúbio Soares, Kátia Rabello nos núcleos político, operacional e financeiro

    Corruptos:

    Pedro Corrêa (PP-PE), Pedro Henry (PP-MT), Romeu Queiroz (PTB-MG), Roberto Jefferson (PTB-RJ), Valdemar Costa Neto (PR-SP), Bispo Rodrigues (PL-RJ) e José Borba (PMDB-PR), de acordo com os processos.

    • Marcos Valério
    • Delúbio Soares
    • Roberto Jefferson
    • Pedro Corrêa

    Prejudicados: Povo brasileiro

  • LAVA JATO

    Esquema de corrupção na Petrobras que envolvia diretores da estatal, empreiteiras, doleiros, intermediadores de propinas e diversos parlamentares, e cujo montante, entre desvios e propinas, pode ultrapassar R$ 30 bilhões.

    Corruptores:

    Há quase 80 anos corrompendo as mais diversas esferas dos poderes público e privado, bancos e empreiteiras fecham acordos de delação premiada e defendem seus executivos da Justiça para que estes continuem usufruindo do altíssimo lucro destas instituições.

    Na lista, estão, por exemplo, os bancos BTG Pactual e Schahin e as empreiteiras Odebrecht, Mendes Júnior, OAS, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, UTC, Engevix, Queiroz Galvão

    • Marcelo Odebrecht
    • André Esteves (BTG)
    • Milton Schahin
    • Otávio Azevedo (AG)

    Intermediadores trombadinhas

    Pedro Barusco, Fernando Baiano, Sergio Machado, Paulo Roberto da Costa, Nestor Cerveró, Jorge Zelada?, Alberto Youssef, Lúcio Funaro, Renato Duque são alguns dos ladrões que faziam a mediação do poder público com o poder privado.

    A delação premiada deu a muitos destes o benefício de penas mais brandas. Ainda assim, muitos nem estão cumprindo pena e continuam aproveitando o dinheiro público que roubaram.

    Barusco ?devolveu R$ 100 milhões, mas ainda usufrui de muito dinheiro e frequenta, sem pudor, as mais caras clínicas de SPA. Muitos acham que ele ficou pobre pelo que devolveu, mas seus bens não foram sequestrados, apenas as obras de arte.

    A família de Fernando Baiano mora em um apartamento de US$ 10 milhões em Miami; na Barra, o doleiro que fez acordo de delação premiada é dono de um dos triplex mais cobiçados da orla carioca. Seus bens vão muito além dos imóveis.

    Ex-presidente da Transpetro, Sergio Machado tinha hábitos extravagantes: entre eles, ser auxiliado por 15 assessores pessoais na empresa. Delações apontam recebimento de pelo menos R$ 1 milhão para que “as obras andassem normalmente”, conforme delatores.

    Ex-diretor da Petrobras, Jorge Zelada foi preso na 15ª fase da Lava Jato, denominada Conexão Mônaco, em decorrência das contas de Zelada descobertas naquele país. Seguramente, sua família continua usufruindo dos bens ilicitamente adquiridos nos últimos anos.

    • Pedro Barusco
    • Fernando Baiano
    • Sergio Machado
    • Jorge Zelada

    Políticos

    Mais de 50 políticos vêm sendo investigados pela Polícia Federal desde o início da Operação Lava Jato, acrescida agora uma lista da Odebrecht. As ramificações da Lava Jato, no entanto, são tão extensas que a operação já deu origem a pelo menos meia dúzia de novas operações.

    Eduardo Cunha é um dos mais citados na Lava Jato, já é réu no STF por pelo menos três crimes e está sendo julgado no Conselho de Ética da Câmara. Apesar disso, continua presidindo inexplicavelmente um dos poderes instituídos do país.

    Ex-presidente da República e atualmente senador, Fernando Collor debocha da Justiça, proferiu xingamentos ao chefe do Ministério Público Federal, Rodrigo Janot, e se comporta com irritação toda vez que seu nome é citado nas investigações.

    Preso há três meses, o senador Delcídio do Amaral tentou atrapalhar as investigações, além de planejar a fuga do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, para que este não negociasse sua delação premiada e entregasse mais ladrões.

    Ex-dirigente do PP, um dos partidos que mais lucrou no esquema de corrupção da Petrobras, o ex-deputado Pedro Corrêa sintetiza o fisiologismo e a pequenez política. Correa recebeu mais de R$ 11 milhões, até onde se sabe, e é reincidente em crimes de corrupção passiva.

    • Eduardo Cunha
    • Delcídio do Amaral
    • Fernando Collor
    • Pedro Corrêa

    Prejudicados: Povo brasileiro

  • ZELOTES

    Esquema de corrupção no Conselho de Administração de Recursos Fiscais (Carf), órgão do Ministério da Fazenda responsável por julgar os recursos administrativos de autuações contra empresas e pessoas físicas. A operação Zelotes ainda está em curso, até agora o prejuízo aos cofres públicos já chega a R$ 20 bilhões.

    Envolvidos:

    • Joseph Safra

      Tentou comprar por R$ 15 milhões as irregularidades de sonegação do banco, a dívida com a Receita Federal soma R$ 1,5 bi. Sequer há previsão para que os cofres públicos recebem uma fração do montante. De dono de casa de câmbio, Safra foi premiado com uma carta de banqueiro por Roberto Campos. Tornou-se a partir daí um dos homens mais ricos do mundo;

      Também entre as investigadas está a RBS, afiliada da Rede Globo no Rio Grande do Sul. A suspeita é que a emissora teria recebido ajuda do ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU); o Banco Santander e a siderúrgica Gerdau, suspeita de ter subornado agentes públicos para se livrar de impostos que somam R$ 1,5 bilhão.

    Prejudicados: Povo brasileiro

  • Campanha contra o Brasil no exterior

    Jornais do mundo inteiro (como a revista Time) desqualificam e incentivam a desmoralização da imagem do país. Na última semana, em palestra com ministro do STF, dois senadores brasileiros contribuíram também para falar mal do Brasil no exterior.

  • As consequências e os prejudicados

    Corruptos e corruptores cumprem apenas 1/3 das penas e voltam a gastar as fortunas roubadas. Mansões fora do país, jatinhos, iates e carros de luxo, viagens pela Europa e as melhores faculdades no exterior para os filhos e netos, estas são apenas algumas das regalias usufruídas pelos ladrões do país. A imagem do Brasil torna-se cada vez mais negativa.

    Enquanto as altas taxas de juros permitem que os bancos lucrem alguns trilhões em um único trimestre, a base da pirâmide é atingida por uma taxa de desemprego que já atinge 9,5 milhões de brasileiros. Os prejudicados vendem seus imóveis e buscam um custo de vida mais viável em áreas favelizadas, já os favelados deixam a área e passam a morar nas ruas. Estes mesmos que agora vivem nas ruas vão parar nas cadeias. JORNAL DO BRASIL

Por




1 Comentário

  1. Maria de Lourdes Medeiros Mota Dias /

    Graças à Deus que 30% do povo brasileiro é consciente e acompanha a história política de sua Nação. Os demais irmãos serão conquistados ou convencidos pela lógica dessa paradoxal democracia. Afinal, ficou fácil distinguir entre os que constroem uma Nação para o povo dos que usam o povo pra destruir sua própria Nação.

Deixe seu comentário

Você deve ser logado postar um comentário.

Retrospectiva Governo Lula

Arquivos

Amigos & Amigos