Citado em operação, vice da BRF já foi foco de escândalo

Terça-feira 21, março 2017

Citado na Operação Carne Fraca, o vice-presidente da BRF José Roberto Pernomian Rodrigues esteve no foco de outro escândalo em 2007.

Ele foi um dos alvos da Operação Persona, que desbaratou um esquema de fraude em importação e sonegação fiscal envolvendo a fabricante de produtos de informática Cisco. JR, como é chamado, foi preso e depois condenado na Justiça por seu envolvimento nas irregularidades.

Executivo de confiança de Abilio Diniz, presidente do conselho de Administração da BRF, JR comanda a chamada”vice-presidência de integridade” da companhia de alimentos, que é dona das marcas Sadia e Perdigão.

A divisão é responsável pelas áreas de reputação corporativa, jurídico, tributário, de relações institucionais, de risco e de sustentabilidade.

O executivo foi alvo de condução coercitiva na sexta-feira (17), quando foi deflagrada a Carne Fraca, que apura pagamento de propina a fiscais do Mapa (Ministério da Agricultura) por frigoríficos. Apesar disso, ainda há poucas evidências de sua participação no suposto esquema.

O despacho do juiz responsável pela operação cita um diálogo no qual JR orienta Roney Santos, gerente de relações institucionais da BRF, sobre como lidar com a solicitação de uma servidora do Mapa. Ela viajara à Europa com as despesas pagas pela BRF e pressionava para conseguir da empresa um recibo falso, dizendo que os gastos haviam sido reembolsados.

Rodrigues pede a Roney, que foi preso na Carne Fraca, que passe o caso para “Silas”, advogado que presta serviços à BRF. Não há informação sobre o desfecho do caso.

Rodrigues, que ainda recorre da condenação no caso Cisco, responde também a processo na Justiça da Bahia, derivado da Persona.

A empresa que trabalhava à época foi condenada em 2016 pelo Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) a pagar multa bilionária.

VELHO ALIADO

A relação de JR com Abilio é antiga. Advogado, atua para o empresário há anos. Trabalhou, por exemplo, na disputa de Abilio com o Casino, que culminou na saída do empresário do Pão de Açúcar.

JR é casado com Renata Catelan, que até 2016 liderava o jurídico da Península, empresa de investimento de Abilio.

Em 2013, JR foi convidado pelo empresário para ser consultor da BRF. Tornou-se assessor de Cláudio Galeazzi, então presidente da empresa, depois diretor jurídico e finalmente vice-presidente.

TORMENTA

A Carne Fraca ocorre num momento em que o atual comando da BRF tenta reconquistar a confiança de investidores. No ano passado, a empresa registrou o primeiro prejuízo desde sua criação, em 2009. Na segunda, as ações fecharam cotadas a R$ 36,30. Há um ano, R$ 55,30.

Rodrigues não concedeu entrevista. A BRF afirmou que o executivo foi chamado a depor e se colocou à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos.Informações da Folha

Por




Deixe seu comentário

Você deve ser logado postar um comentário.

Retrospectiva Governo Lula

Arquivos

Amigos & Amigos