Clã Calheiros se reveza no comando de sua terra natal

Domingo 18, setembro 2016

Um certo Cônego Calheiros, segundo registros históricos oficiais, integrava a junta governativa de Murici bem antes que ela se tornasse cidade, em 1892. Mas foi somente no século XX, em 1992, que a família Calheiros passou a ser vista como parte da elite econômica e política local. Naquele ano, o já ilustre deputado Renan Calheiros, num intervalo sem mandato, voltaria à terra natal para comandar a campanha vitoriosa do pai, Olavo Calheiros Novais, à prefeitura. Nas últimas duas décadas, o clã Calheiros, num curioso revezamento tio-sobrinho, domina o município, distante apenas 50 quilômetros de Maceió. Este ano, quem está cotado para substituir Remi Calheiros (PMDB), irmão do presidente do Senado, é seu sobrinho, Olavo Neto, filho do deputado estadual Olavo Calheiros. Aos 29 anos, Olavinho, que já é vice-prefeito de Murici, declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de R$ 1,9 milhão, originário da empresa e agropecuária Santo Aleixo, localizada na zona rural... Leia mais

Temer corta apenas 6 ministérios

Domingo 14, agosto 2016

  O tão propagado corte de ministérios no governo do presidente interino Michel Temer, que a princípio atingiria dez pastas, acabou não sendo alcançado. O resultado é bem mais modesto: são 26 os ministros de Temer, apenas seis a menos que os de sua antecessora no cargo, a presidente afastada Dilma Rousseff. Para completar, na quinta-feira, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, anunciou a recriação de mais um: o do Desenvolvimento Agrário. Serão então 27 pastas, uma diferença de somente cinco ministérios em relação ao governo Dilma. Há dois casos entre esses 26 que o próprio Palácio do Planalto omite. Seus retratos não aparecem na galeria de ministros da página oficial do governo na internet. Mas, para todos os efeitos, o advogado-geral da União, Fábio Medina Osório, e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, continuam tendo status de ministros, com todas as regalias que o cargo traz. Isto porque, quando editou a Medida Provisória 726, em meados... Leia mais

Entre desconfianças, PMDB e tucanos tentam manter convivência

Domingo 14, agosto 2016

  Ponte para a corrida presidencial, a eleição municipal deste ano está gerando turbulências na relação entre PMDB e PSDB, ambos de olho em 2018. Os dois partidos são adversários em 11 capitais, e a disputa ocorre em clima de desconfiança. Com três pré-candidatos à Presidência da República — Aécio Neves, José Serra e Geraldo Alckmin —, o PSDB vê no partido do presidente interino, Michel Temer, uma máquina eleitoral com o objetivo de impulsioná-lo à reeleição. Apesar dos peemedebistas reiterarem que Temer está fora de 2018, os tucanos não estão convencidos disso e ainda temem uma possível candidatura do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, filiado ao PSD. Será uma relação delicada nos próximos dois anos, já que PSDB e PMDB estão jogando todas as fichas nas eleições municipais de outubro para se cacifarem para a grande disputa pelo espólio do combalido PT em 2018. No mapa das candidaturas nas 26 capitais, PSDB e PMDB são mais... Leia mais

Vivemos momento de intolerância com opinião do outro?, diz Subprocuradora-geral

Domingo 14, agosto 2016

  A 2ª Câmara de Coordenação e Revisão (Criminal) do Ministério Público tem quatro prioridades para os próximos dois anos. O foco, neste período, será o combate a crimes que o Brasil é cobrado nas Cortes Internacionais. “Nós adotamos uma metodologia de escolha de crimes prioritários, escolhidos a partir de encontros regionais, em 2015, e o encontro nacional”, afirma a subprocuradora-geral da República Luiza Cristina Fonseca Frischeisen. “São crimes que o Brasil é cobrado nas Cortes Internacionais, especialmente na Corte Interamericana de Direitos Humanos: os crimes da Justiça de Transição, a concepção penal dos crimes cometidos na Ditadura Militar, crimes de trabalho escravo, crimes em detrimento das comunidades indígenas e o crime de tráfico de pessoas.” Desde junho deste ano, é Luiza Frischeisen quem coordenada a 2ª Câmara de Coordenação e Revisão (Criminal) do Ministério Público Federal. Entre os projetos da 2ª CCR está... Leia mais

Em conversa gravada, ministro de Temer combina derrubar Dilma para barrar a Lava Jato

Segunda-feira 23, maio 2016

  O atual ministro do Planejamento, senador Romero Jucá (PMDB-RR), foi flagrado em conversas telefônicas sugerindo um acordo para barrar o avanço da Operação Lava Jato. As informações foram publicadas nesta segunda-feira (23) pelo jornal Folha de S.Paulo. De acordo com a reportagem, foi gravada de forma oculta uma conversa entre Jucá e o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado. Ambos são investigados pela operação Lava Jato. Jucá sugere uma “mudança” no governo federal com o objetivo de “estancar a sangria” representada pela Lava Jato. Os diálogos foram gravados em março, poucas semanas antes da votação na Câmara dos Deputados que deflagrou o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. Na gravação, Machado afirma que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, “está a fim de pegar vocês [do PMDB]. E acha que eu sou o caminho”. Jucá então sugere uma saída “política” para encontrar uma solução. Eles então... Leia mais

Retrospectiva Governo Lula

Arquivos

Amigos & Amigos