Candidata do PSB tornou-se refém do fundamentalismo

Sexta-feira 5, setembro 2014

  Hatoum: “A mudança do texto original [do programa de governo] por pressão de líderes religiosos foi lamentável” Confira a seguir a conversa com o escritor Milton Hatoum:  Valor: Você iria votar em Marina e desistiu. O que houve?  Milton Hatoum: Votei nela no primeiro turno em 2010. Este ano estava propenso a votar no candidato Eduardo Campos, isso sim. Acho que ele era um político de centro-esquerda com ideias para o Brasil, com liderança, não estava contaminado nem um pouco por um discurso messiânico, religioso.  Valor: A questão religiosa gerou seu desencanto com Marina? Hatoum: Achei até consistente o programa de governo da Marina, embora muito vago em alguns aspectos, mas quando eu li as alterações todas, feitas às pressas, vi que ela tinha se tornado refém dos partidos religiosos fundamentalistas. Valor: Foi aí que “desmarinou”? Hatoum: Em três dias vimos que a política pode mudar como as nuvens. A mudança do texto... Leia mais

Campanha da Marina se enrola e não explica avião pirata

Quarta-feira 3, setembro 2014

  O presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, disse há pouco que o partido já anexou junto à segunda prestação de contas parcial entregue ao Tribunal Superior Eleitoral documentação sobre o jatinho Cessna Citation, que era usado por Eduardo Campos na ocasião do acidente aéreo que provocou a morte do candidato. A documentação entregue é referente à comprovação da doação de horas de voo do avião e informações sobre os empresários que cederam o jato para a campanha. A prestação de contas sobre o uso do jato segue incompleta, contudo, à espera de informações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) sobre as horas voadas para calcular quanto custou o serviço. “Já apresentamos ao TSE toda a documentação dos que cederam o avião”, disse Amaral nesta quarta-feira (3). Mais cedo, Bazileu Margarido, um dos responsáveis pelo comitê financeiro da campanha presidencial de Marina Silva (PSB), disse que o partido depende das informações da... Leia mais

Até no DataFolha Dilma subiu

Quarta-feira 3, setembro 2014

  A candidata do PSB à Presidência interrompeu a sua ascensão e permaneceu na casa dos 34% enquanto a petista Dilma Rousseff chegou a 35% das intenções de voto, de acordo com a pesquisa DataFolha divulgada há pouco. Dilma tinha 34% na sondagem anterior, dos dias 28 e 29 de agosto, e sua variação, portanto, está dentro da margem de erro da pesquisa, de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. Ambas estão em uma situação de empate técnico. Aécio Neves, do PSDB, oscilou de 15% para 14% entre uma sondagem e outra. Na disputa de um eventual segundo turno entre Dilma Rousseff e Marina Silva, a candidata do PSB venceria por 48% contra 41% da petista, informou o DataFolha, divulgado há pouco pelo site do jornal Folha de S.Paulo. Na pesquisa realizada no final de agosto, a diferença era de 10 pontos porcentuais (50% a 40%) entre as duas candidatas. Se a eleição no segundo turno fosse disputada entre Dilma e Aécio Neves, a atual presidente seria reeleita ao... Leia mais

Pesquisa representa ‘luto’ para Aécio, diz socióloga e especialista em pesquisas eleitorais

Quarta-feira 3, setembro 2014

  A pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira representa “luto” para o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, e “alegria” para suas principais adversárias – Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB) -, na avaliação da socióloga e especialista em pesquisas eleitorais Fátima Pacheco Jordão. “É difícil ver quem levou a melhor nessa pesquisa entre as duas. Nesse jogo, o único que perdeu foi o Aécio. Houve uma consolidação em torno do nome delas, aparentemente à custa de Aécio”, afirmou, argumentando que, além da queda de quatro pontos porcentuais do tucano no primeiro turno, ele se distanciou de Dilma na simulação do segundo turno. A socióloga destacou que Dilma e Marina cresceram juntas e se distanciaram de Aécio. “Se isso continuar ocorrendo de maneira horizontal, no território eleitoral total, provavelmente Aécio estará fora do segundo turno”, afirmou. “Além disso, a pesquisa confirma o... Leia mais

Plano de Marina defende aborto no SUS

Sábado 30, agosto 2014

   O programa da candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, divulgado na última sexta-feira (29), combina promessas de uma política econômica conservadora do ponto de vista do mercado financeiro, com a independência do Banco Central garantida em lei e a redução da presença do Estado em atividades econômicas, com uma série de medidas de caráter progressista na área de comportamento, como a defesa clara das causas homossexuais. Em relação ao aborto, a ex-ministra promete a regulamentação de sua prática em hospitais da rede, nos casos já legalmente autorizados. Os acenos da candidata ao mercado financeiro aparecem em quase todo o programa de 242 páginas. Um dos mais visíveis é a independência do Banco Central, promessa que não foi assumida nem pelo candidato Aécio Neves, cujo partido, o PSDB, é o mais identificado com o mercado financeiro. Segundo o programa da candidata, é preciso “assegurar a independência do Banco Central o mais rapidamente... Leia mais

Retrospectiva Governo Lula

Arquivos

Amigos & Amigos