Preso pela PF, Henrique Eduardo Alves foi deputado por 44 anos e responde a outras acusações na Justiça

Quinta-feira 22, junho 2017

  O ex-presidente da Câmara e ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), preso na manhã desta terça-feira (6), acusado de receber propina pela construção do estádio Arena das Dunas, de Natal, exerceu o mandato de deputado federal por 44 anos ininterruptos. Filho do ex-ministro e ex-governador Aluizio Alves, já falecido, ele chegou ao Congresso em 1971 e de lá só saiu no início de 2015, após perder a disputa ao governo estadual. Com 11 mandatos, ele empata com o ex-presidente da Câmara Ulysses Guimarães (PMDB) na segunda colocação entre os deputados com mais legislaturas. Os dois perdem apenas para o ex-deputado baiano Manoel Novaes, que exerceu 12 mandatos, entre 1933 e 1982, detentor do recorde nacional. Presidente da Câmara entre fevereiro de 2013 e fevereiro de 2015, Henrique Eduardo Alves foi ministro do Turismo nas gestões de Dilma e Michel Temer. Amigo pessoal do presidente Michel Temer, o peemedebista deixou o cargo em junho de 2016 após... Leia mais

Delação deixa 60% de condenados de fora das grades

Sábado 17, junho 2017

 O perdão judicial aos empresários do Grupo J&F, Joesley e Wesley Batista, reacendeu o debate sobre a extensão da contrapartida concedida aos colaboradores da Operação Lava Jato. Até então, o maior benefício recebido por delatores havia sido a redução da pena ou a atenuação da forma a ser cumprida. Em uma amostra de 26 acordos analisados pelo Estado, por exemplo, 60% dos réus condenados ao regime fechado escaparam de ficar atrás das grades após firmarem acordos de colaboração premiada. Para o procurador da República Januário Palubo, integrante da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, os benefícios dados aos delatores, não só os concedidos aos irmãos Batista, estão longe de se configurarem impunidade. Com larga experiência em acordos de colaboração premiada, Palubo diz que se trata de contrapartidas proporcionais à quantidade e à qualidade das informações prestadas pelos delatores. Nesse escopo estão, principalmente, as confissões de crimes por... Leia mais

Magistrados pedem eleições diretas “diante da deterioração da legitimidade do governo”

Quarta-feira 14, junho 2017

Algum sinal a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deu ao manter a prisão preventiva da irmã de Aécio Neves, Andrea Neves. As acusações que pesam sobre Aécio são mais pesadas do que as que pesam sobre Andrea. Afinal ela era, segundo as investigações, uma executora dos supostos crimes. Ela cumpria as determinações de seu mandante, que seria Aécio Neves. Se na próxima semana a Primeira Turma determinar a prisão do senador tucano, ela estará mostrando coerência. Se sua irmã não teve a prisão preventiva revogada, não se justificaria que a mesma turma tome decisão diferente com relação a Aécio. A decisão da Primeira Turma pode estar sinalizando o que vai acontecer na próxima semana. Em nota divulgada nesta quarta-feira (14), a Associação Juízes para a Democracia (AJD) defendeu a interrupção do mandato de Michel Temer e a realização de eleições diretas como meio de escolha de um novo presidente da República. Para a entidade, diante da... Leia mais

A derrota da república de Curitiba no TSE e a confirmação do golpe contra Dilma

Sábado 10, junho 2017

Logo depois de concluída a sessão do Tribunal Superior Eleitoral de ontem, que não cassou a chapa Dilma-Temer, o jornal O Globo criticou o fato em editorial intitulado “TSE erra o passo”. E continuou: “De quebra o Tribunal deixa Dilma livre para concorrer em 2018”. No mesmo diapasão crítico, pela manhã, antevendo o resultado que não desejava no julgamento do TSE, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, dos mais vorazes de Curitiba, no seu estilo agressivo e desrespeitoso dizia “o verdadeiro cúmulo do cinismo é a cegueira intencional da maioria dos ministros do TSE…” (Blog Fausto Macedo). Realmente, o resultado do julgamento do TSE foi uma derrota para a república de Curitiba. Membros do Tribunal Superior Eleitoral, especialmente seu presidente, o controvertido Juiz Gilmar Mendes, que também é do Supremo Tribunal Federal, STF, fizeram críticas contundentes a métodos arbitrários da Lava Jato e deram elementos jurídicos que mostravam o golpe que... Leia mais

Temer estaria pressionando Anatel em favor da Simba

Quinta-feira 8, junho 2017

  Deu no site Teletime: As emissoras de TV reunidas na empresa Simba, que representa os interesses de Record, SBT e Rede TV na negociação dos sinais das redes abertas junto a operadoras de TV por assinatura, acionaram sua arma mais poderosa para forçar uma negociação: a pressão política. Segundo apurou este noticiário, as emissoras procuraram no final de maio o ministro Wellington Moreira Franco, da Secretaria Geral da Presidência, sinalizando com apoio ao governo, tanto no tom editorial quanto na bases políticas no Congresso. Seriam cerca de 80 votos na Câmara. Ato contínuo, Moreira Franco teria procurado a Anatel para pressionar a agência em favor das emissoras. A estratégia seria impor às operadoras de TV por assinatura um desconto a ser concedido aos assinantes pelo fim do carregamento dos sinais abertos. A agenda do presidente da Anatel Juarez Quadros registra uma reunião com o ministro Moreira Franco no dia 24 de maio, entre 10:00 e 10:30, e a agenda de... Leia mais

Retrospectiva Governo Lula

Arquivos

Amigos & Amigos