Campos usou outro jatinho de empresário investigado pela PF

Segunda-feira 25, agosto 2014

Em maio, então candidato do PSB viajou em aeronave-comprada por Apoio Vieira, envolvido em negócio do avião que caiu em Santos  Uma das empresas investigadas na compra do jato Cessna Citation 500 XLS, que caiu matando o candidato a presidente pelo PSB, Eduardo Campos, e outras seis pessoas, a Bandeirantes Companhia de Pneus Ltda. tem em seu nome outra aeronave que, em maio, foi usada pelo ex-governador de Pernambuco durante visita de pré-campanha na Bahia.  Trata-se do Leaijet 45, prefixo PP-ASV, que Campos usou no dia 20 de maio, em visita a Feira de Santana. Em fotografia retirada pela imprensa durante sua chegada é possível ver a aeronave.  Mais modesto que o Citation 560 XLS, o avião biorreator usado pelo candidato naquele dia está registrado na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em nome da Bandeirantes, que tem sede em Pernambuco, e pertence a Apoio Santa Vieira. Pelo regi stro na Anac, o Learjet 45 foi financiado pela Bandeirantes. Como foi comprado por... Leia mais

PF vai investigar se avião foi comprado com uso de caixa dois

Domingo 24, agosto 2014

  Depois de se deparar com uma empresa de fachada e empresários sem condições econômica para comprar um avião de R$ 18,5 milhões, a Polícia Federal vai apurar se a aeronave que caiu com o candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) foi comprada com dinheiro de caixa dois de companhias ou do próprio partido. O avião pertence ao grupo A. F. Andrade, dono de usinas de açúcar que está em recuperação judicial, com dívidas de R$ 341 milhões. No dia 15 de maio deste ano, um empresário de Pernambuco e amigo de Campos, João Carlos Lyra de Melo Filho, assinou um compromisso de compra da aeronave e posteriormente indicou as empresas BR Par e a Bandeirantes Pneus para a assumir dívidas de US$ 7 milhões (R$ 16 milhões) junto à Cesnna. A BR Par não existe no endereço que aparece no seu registro na Junta Comercial, na avenida Faria Lima, em São Paulo. Já a Bandeirantes foi recusada pela Cessna por falta de capacidade econômica. MAIS SUSPEITAS Além do limbo... Leia mais

Quem decifra Marina?

Domingo 24, agosto 2014

  Oficializada como candidata pelo PSB, Marina Silva entra no jogo eleitoral e demonstra fôlego para chegar à Presidência, mas hoje é uma espécie de esfinge política. Repleta de contradições, já provocou baixas em sua própria base de apoio Revista IstoÉ A PRIMEIRA BAIXA O secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira, deixou a campanha depois de se desentender com Marina Silvaft;”>Candidata oficial do PSB à Presidência da República desde a quarta-feira 20, Marina Silva vem provocando um reboliço no cenário eleitoral. Pesquisas de opinião indicam que a ex-senadora tem fôlego para superar o desempenho obtido na campanha de 2010 e até chegar a um segundo turno. Tais chances ficarão mais claras quanto maior for o conhecimento do eleitor sobre suas ideias e convicções. É aí que moram os problemas da candidata. Marina é uma personagem ainda enigmática e repleta de contradições – uma espécie de esfinge política. A evangélica fervorosa de... Leia mais

Será que ela é amiga dos negócios?

Domingo 24, agosto 2014

A candidatura de Marina Silva foi recebida com certa euforia pelo mercado financeiro Mas ainda se sabe pouco do que ela pensa sobre economia A ascensão de Marina Silva foi recebida com um misto de euforia e preocupação no mundo dos negócios. Ao mesmo tempo que sua candidatura trouxe de volta velhos fantasmas, especialmente para o agronegócio, alvo preferido de seu ativismo ambiental (leia a entrevista com a senadora Kátia Abreu na página 36), ela foi recebida até com certa euforia no mercado financeiro. Da mesma forma que as cotações desabaram quando a presidente Dilma Rousseff subiu nas pesquisas eleitorais, como reflexo da resistência dos investidores à sua reeleição, elas decolaram com a entrada de Marina na disputa, sobretudo com a divulgação de uma pesquisa do Datafolha que a mostrava como vencedora se enfrentasse Dilma no segundo turno. Foram seis dias seguidos de alta nos pregões, um fenômeno raro no atual governo. Na quinta-feira, o índice Bovespa, que... Leia mais

TSE proíbe Aécio de usar slogan ‘vem pra urna’

Domingo 24, agosto 2014

  O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Tarcísio Vieira de Carvalho concedeu liminar neste sábado que impede o candidato tucano Aécio Neves de usar o slogan e a hashtag “Vem Pra Urna” durante a campanha política. O slogan já é usado pela Justiça Eleitoral para incentivar a população a votar nas eleições deste ano. O ministro entendeu que a utilização de slogan de campanha institucional do judiciário pode induzir o eleitor em erro “soando despropositada a sua apropriação em campanha eleitoral”. O caso foi levado ao Tribunal por meio de representação apresentada pela coligação Com a Força do Povo, da presidente e candidata do PT, Dilma Rousseff. A alegação foi de que a campanha do tucano usou, no site oficial da coligação e nas redes sociais, campanha com o mesmo slogan e hashtag da Justiça Eleitoral. Crime O uso de símbolos, frases ou imagens associadas ou semelhantes às usadas por órgão de governo constitui crime,... Leia mais

Retrospectiva Governo Lula

Arquivos

Amigos & Amigos