Temer contesta o que não foi dito: ninguém lhe atribuiu solicitação

Domingo 4, junho 2017

  Já que Michel Temer vive dias tão calorosos, sob mais acusações na semana encerrada e julgamento na que começa, vale retomar um tema suplantado, apesar da importância, pela autenticidade ou trucagem da gravação de Joesley Batista nos porões da noite presidencial. A essa dúvida, a perícia da Polícia Federal promete responder. O objeto da recomendação de Temer a Joesley, porém, ficou como questão em aberto. O trecho crucial, exposto na íntegra da gravação publicada pela Folha em 22 de maio, é este: “Joesley: […] Negócio dos vazamentos do telefone lá…do Eduardo, com Geddel, volta e meio citava alguma coisa meio tangenciando a nós, a não sei o quê. Eu tô lá me defendendo. [inaudível] como é que eu…quê que eu mais ou menos dei conta de fazer até agora? Eu tô de bem com Eduardo. Temer: É, tem que manter isso, viu? [fica inaudível] Joesley: [inaudível] todo mês.” As deduções proporcionadas por esse trecho se... Leia mais

Áudios de Aécio e Andrea Neves revelam bastidores da relação do poder com a mídia

Sábado 3, junho 2017

Grampos trazem à tona como senador afastado age para calar seus críticos, prática já denunciada diversas vezes pela imprensa de Minas Gerais Nos áudios, o presidente nacional do PSDB, o senador afastado, dá ordens expressas ao governador do Paraná, o também tucano Beto Richa, para acionar sua assessoria de imprensa (“pessoal mais qualificado”), a fim de intervir para tirar rapidamente do ar a matéria “Aliado do Paraná já considera Aécio na cadeia”, postada (e retirada) pelo UOL do Paraná(Veja os áudios) . Leia aqui na Rede Brasil Atual Leia mais

Em denúncia, Janot relaciona troca de ministro da Justiça à pressão de Aécio e investigados

Sábado 3, junho 2017

Em denúncia criminal apresentada nesta sexta-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sugere que a troca do comando do Ministério da Justiça está relacionada à pressão do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e de outros investigados. “Após a deflagração da “Operação Patmos” em 18 de maio de 2017 e a revelação do envolvimento do próprio presidente da República, Michel Temer, em supostos atos criminosos, a pressão do senador Aécio Neves e outros investigados intensificou-se, e Osmar Serraglio foi efetivamente substituído no Ministério da Justiça por Torquato Jardim”, diz Janot na denúncia. Janot cita também, a partir do relato das gravações de conversas feitas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, a chamada “solução Temer” como forma de barrar a operação Lava Jato. A acusação contra Aécio por corrupção passiva e obstrução de Justiça detalha, a partir... Leia mais

Haddad na mira dos golpistas

Sábado 3, junho 2017

  A movimentação golpista continua com toda a força no Brasil. O alvo agora dos golpistas é o ex prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Uma ação da Polícia Federal, chamada de Cifra Oculta que é um desdobramento da Lava Jato, investiga um repasse para a campanha à prefeitura da capital paulista de 2012 da empreiteira UTC no valor de R$ 2,6 bilhões por meio de caixa 2. A acusação é baseada na delação do empreiteiro e sócio da UTC Ricardo Pessoa. Segundo o delator teria sido pago esses valores à uma gráfica como forma de pagamento de dividas do período eleitoral e ainda vinculou a empresa gráfica a um ex-deputado estadual petista, Francisco Carlos de Souza. O repasse teria sido por um doleiro em dinheiro vivo e não declarado para a Justiça Eleitoral. Fernando Haddad, em nota à imprensa, afirmou que toda a sua campanha foi devidamente declarada à justiça. E o mais grave. A empreiteira UTC, que teria sido a financiadora dessa operação financeira ilegal,... Leia mais

PGR apresenta denúncia contra Aécio no STF por corrupção e obstrução de justiça

Sábado 3, junho 2017

  O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta sexta-feira (2), o senador Aécio Neves por solicitar e receber de Joesley Batista, do Grupo J&F, propina no valor de R$ 2 milhões e por obstrução da justiça ao tentar impedir as investigações da Operação Lava Jato. Também são acusados de corrupção passiva a irmã do senador, Andréa Neves, seu primo Frederico Pacheco de Medeiros e Mendherson Souza Lima, assessor parlamentar do senador Zezé Perrella. Os fatos foram relatados em colaboração premiada de pessoas ligadas ao Grupo J&F, principalmente o presidente da empresa, Joesley Batista. Eles apresentaram documentos, bem como outros meios de prova, e também foram feitas apurações por meio de ações controladas da Polícia Federal, considerando que os crimes apresentados estavam ocorrendo ou por ocorrer. Os acordos foram homologados pelo ministro Edson Fachin em 11 de maio. Corrupção – Andréa... Leia mais

Retrospectiva Governo Lula

Arquivos

Amigos & Amigos