Em denúncia, Janot relaciona troca de ministro da Justiça à pressão de Aécio e investigados

Sábado 3, junho 2017

Em denúncia criminal apresentada nesta sexta-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sugere que a troca do comando do Ministério da Justiça está relacionada à pressão do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e de outros investigados. “Após a deflagração da “Operação Patmos” em 18 de maio de 2017 e a revelação do envolvimento do próprio presidente da República, Michel Temer, em supostos atos criminosos, a pressão do senador Aécio Neves e outros investigados intensificou-se, e Osmar Serraglio foi efetivamente substituído no Ministério da Justiça por Torquato Jardim”, diz Janot na denúncia. Janot cita também, a partir do relato das gravações de conversas feitas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, a chamada “solução Temer” como forma de barrar a operação Lava Jato. A acusação contra Aécio por corrupção passiva e obstrução de Justiça detalha, a partir... Leia mais

Haddad na mira dos golpistas

Sábado 3, junho 2017

  A movimentação golpista continua com toda a força no Brasil. O alvo agora dos golpistas é o ex prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Uma ação da Polícia Federal, chamada de Cifra Oculta que é um desdobramento da Lava Jato, investiga um repasse para a campanha à prefeitura da capital paulista de 2012 da empreiteira UTC no valor de R$ 2,6 bilhões por meio de caixa 2. A acusação é baseada na delação do empreiteiro e sócio da UTC Ricardo Pessoa. Segundo o delator teria sido pago esses valores à uma gráfica como forma de pagamento de dividas do período eleitoral e ainda vinculou a empresa gráfica a um ex-deputado estadual petista, Francisco Carlos de Souza. O repasse teria sido por um doleiro em dinheiro vivo e não declarado para a Justiça Eleitoral. Fernando Haddad, em nota à imprensa, afirmou que toda a sua campanha foi devidamente declarada à justiça. E o mais grave. A empreiteira UTC, que teria sido a financiadora dessa operação financeira ilegal,... Leia mais

PGR apresenta denúncia contra Aécio no STF por corrupção e obstrução de justiça

Sábado 3, junho 2017

  O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta sexta-feira (2), o senador Aécio Neves por solicitar e receber de Joesley Batista, do Grupo J&F, propina no valor de R$ 2 milhões e por obstrução da justiça ao tentar impedir as investigações da Operação Lava Jato. Também são acusados de corrupção passiva a irmã do senador, Andréa Neves, seu primo Frederico Pacheco de Medeiros e Mendherson Souza Lima, assessor parlamentar do senador Zezé Perrella. Os fatos foram relatados em colaboração premiada de pessoas ligadas ao Grupo J&F, principalmente o presidente da empresa, Joesley Batista. Eles apresentaram documentos, bem como outros meios de prova, e também foram feitas apurações por meio de ações controladas da Polícia Federal, considerando que os crimes apresentados estavam ocorrendo ou por ocorrer. Os acordos foram homologados pelo ministro Edson Fachin em 11 de maio. Corrupção – Andréa... Leia mais

Polícia Federal prende ex-deputado e ex- assessor de Temer Rodrigo Rocha Loures

Sábado 3, junho 2017

  Na manhã deste sábado (3), a  Polícia Federal informou que prendeu o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), ex-assessor especial do presidente Michel Temer. Loures foi preso preventivamente em Brasília, e levado para a Superintendência da PF no Distrito Federal. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, havia pedido, novamente, na quinta-feira (1º) ao Supremo Tribunal Federal (STF), a prisão preventiva de Loures, flagrado pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$ 500 mil na Operação Patmos, investigação baseada na delação premiada da JBS. O pedido foi feito após o ex-ministro da Justiça Osmar Serraglio voltar para o cargo de deputado federal. Com o retorno, Loures, que era suplente de Serraglio, perdeu o foro privilegiado. No recurso, Janot afirma que a prisão de Loures era “imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal”. O procurador justifica que há no inquérito aberto pelo Supremo escutas telefônicas e... Leia mais

PGR pede novo inquérito contra Aécio por ‘propina de R$ 60 mi’

Sábado 3, junho 2017

Além de oferecer denúncia contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), o procurador-geral da República (PGR), Rodrigo Janot, pediu a abertura de um novo inquérito para apurar supostos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em separado. Em relação a corrupção passiva, a PGR aponta necessidade de investigar três pontos principais: “o pagamento de propina da ordem de mais de R$ 60 milhões feito em 2014 ao parlamentar por meio da emissão de notas fiscais frias a diversas empresas indicadas por ele”, o pagamento a diversos partidos para apoiarem a candidatura à Presidência da República em 2014, e “o pagamento de dinheiro em espécie feito diretamente a Frederico Pacheco de Medeiros, primo do Senador e por este indicado para receber os valores”. “Os colaboradores narraram que, em contrapartida a todos esses pagamentos, o Senador AÉCIO NEVES utilizou de seu mandato para beneficiar diretamente interesses do grupo, como, por... Leia mais

Retrospectiva Governo Lula

Arquivos

Amigos & Amigos