Confiança da indústria sobe pela primeira vez após cinco meses

Terça-feira 21, julho 2015

Após cinco meses consecutivos de queda, a confiança dos empresários da indústria esboça reação em julho, segundo a prévia da Sondagem da Indústria de Transformação, divulgada pela FGV. Conforme levantamento preliminar, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) aponta alta de 0,6% em relação a junho. Se confirmada a recuperação, o indicador registra 68,5 pontos, na série livre de influência sazonal. Em nota, a FGV destaca que a melhora na prévia foi determinada por avanço no índice de expectativas (IE), que subiu 3,3%, para 68 pontos. O indicador da situação atual, em contrapartida, recuou 2% ante junho, para 69 pontos, o menor nível da série mensal iniciada em outubro de 2005. No levantamento preliminar, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) subiu 0,3 ponto pe rcentual entre junho e julho, de 78,2% para 78,5%. Para a prévia de julho, foram consultadas 781 empresas entre os dias 1 e 16 deste mês. O resultado final da pesquisa será... Leia mais

Moro cita lei criada por Dilma para condenar executivos da empreiteira

Segunda-feira 20, julho 2015

   Ao condenar os executivos da empreiteira Camargo Corrêa também por organização criminosa – além de corrupção e lavagem de dinheiro -, o juiz federal Sérgio Moro afastou taxativamente a tese de vários defensores de acusados da Lava Jato de que a Lei 12.850/2013 não poderia ser aplicada para este caso. A Lei 12.850/13, do governo Dilma Rousseff (PT), define as sanções aos integrantes de organização criminosa. Foi publicada em 2 de agosto de 2013 e entrou em vigor 45 dias depois. “Portanto, (a lei) entrou em vigor apenas após a prática da maior parte dos crimes que compõem o objeto desta ação penal”, assinalou Moro, na sentença em que impôs penas superiores a 15 anos de reclusão a dois ex-executivos da Camargo Corrêa – Dalton Avancini e Eduardo Leite – e 9 anos e seis meses a João Ricardo Auler, da mesma empreiteira. O juiz da Lava Jato assinalou que ‘ao contrário do que se pode imaginar, o tipo penal em questão não... Leia mais

Escândalos entram na rotina do Congresso

Segunda-feira 20, julho 2015

Escândalos de corrupção envolvendo deputados e senadores não são propriamente novidade na crônica política brasileira. Desde a redemocratização, no fim da década de 1980, não houve uma legislatura sequer que não tivesse um grande escândalo de corrupção com parlamentares entre os envolvidos. Esta é a primeira vez, entretanto, que os presidentes do Senado e da Câmara, filiados ao mesmo partido, o PMDB, são investigados no mesmo caso. No início da década de 1990, o Brasil mal se recuperava do impeachment do primeiro presidente eleito pelo voto direto em 30 anos quando se viu diante da revelação de um esquema que sangrava o Orçamento. O escândalo que ficou conhecido como a ‘máfia dos anões do Orçamento’ – uma referência à estatura dos envolvidos – custou o mandato de dez deputados: quatro renunciaram e seis foram cassados. E entrou para a história a desculpa do João Alves (ex-PFL-BA), apontado como líder do esquema. Para justificar a... Leia mais

My name is Cunha

Segunda-feira 20, julho 2015

Estou só começando. Falta fazer muita coisa: reduzir a maioridade penal para oito anos, intervenção militar e dar poder para as igrejas GREGORIO DUVIVIER Você conhece. Você confia. Please allow me to introduce myself. My name is Cunha, mas pode me chamar de Cramunhão, de Sete-Pele, Coisa-Ruim, Cão-Tinhoso, Cabrunco, Gota-Serena, Caralho-de-Asa, Sinteco Gelado. Escrevo porque tem uma garotada por aí que está achando que eu vou cair. Mua-ha-há (difícil digitar risada malévola). Meninada, vamos ter uma a aula de história? Eba. Vamos! Sou muito, mas muito mais antigo do que vocês pensam. Cheguei aqui há uns 500 anos, na primeira chacina de índios batizada de descobrimento. Lembra dos navios negreiros? My bad. Guerra do Paraguai? Sorry about that. Tiradentes? Eu que esquartejei aquele comuna safado. Cabanagem, Sabinada, Balaiada, Canudos, eu que abafei a badernagem toda. Mua-ha-há. Aí você me pergunta: “Como saber que você é você, príncipe das... Leia mais

Conspiração não entra em recesso

Segunda-feira 20, julho 2015

  Nesse clima, é bobagem pensar que o recesso parlamentar equivale à água na fervura da crise Esta Folha (14/07) noticiou um fato da maior gravidade. Na residência oficial da Presidência da Câmara dos Deputados, o chefe da Casa, Eduardo Cunha, dividiu o “breakfast” com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, e o impagável Paulinho da Força, do partido Solidariedade. Além de guloseimas habituais, constou do cardápio nada menos que o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Boquirroto como sempre, Gilmar confirmou o debate sobre o assunto. “Ele [Cunha] falou dos problemas de impeachment, esses cenários todos”. Perguntados pela reportagem, Paulinho da Força e o presidente da Câmara tergiversaram, sem convencer. O texto afirma que o deputado do Solidariedade especulou que a derrubada da presidente (pois é disso que se trata) supõe um acordo entre Eduardo Cunha, o vice Michel Temer, Renan Calheiros, chefe do Senado, e o presidente... Leia mais

Revés de Cunha muda rumo da oposição

Domingo 19, julho 2015

A crise em torno de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) preocupa o PSDB e obriga seus principais líderes a rever os estrategemas montados até agora com objetivo de substituir Dilma Rousseff na Presidência. Se, de um lado, a instalação – determinada pelo presidente da Câmara – de mais duas CPIs para investigar o governo federal ajuda a oposição, de outro, um eventual enfraquecimento do peemedebista pode tirar dos tucanos seu maior ardil institucional contra a presidente da República. No comando da Câmara dos Deputados, Cunha sempre funcionou para os tucanos como um posto avançado de desgaste para a presidente e, agindo dessa forma, se tornou peça essencial da munição da oposição contra Dilma e o PT. Se ele deixar o cargo ou permanecer nele com um poder esquálido, os tucanos e seus aliados na oposição terão de redesenhar os projetos de voltar ao Planalto. Segundo líderes do PSDB consultados pelo jornal O Estado de S. Paulo, todos os interesses do partido passam, de... Leia mais

PSDB mineiro também usou depósitos judiciais em 1997

Domingo 19, julho 2015

A celeuma provocada na Assembleia Legislativa, entre oposição e governistas, pela votação do projeto que autoriza o governo petista de Fernando Pimentel a usar os depósitos judiciais foi mais um exercício do contraditório político. Ao contrário do que foi dito, essa não foi a primeira vez que Minas recorreu ao expediente. E mais, já foi usado por um governo tucano e sem o amparo legal, que, agora, foi dado pelo Legislativo à atual gestão após intenso debate. Entre os anos de 1997 e 1998, o governo Eduardo Azeredo (PSDB) lançou mão dos recursos judiciais. Apesar da má fama de mau pagador do estado, por conta dos precatórios, não houve registro de calote ou de atraso na devolução dos recursos. À época, o acerto foi feito por Eduardo Azeredo com o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Lúcio Urbano. A motivação foi semelhante a de agora e referia-se às dificuldades financeiras do estado. “Em tempos de crise, é uma alternativa válida,... Leia mais

Em causa própria

Domingo 19, julho 2015

  Acusado por delator, Eduardo Cunha rompe com o governo Dilma, desfere bravatas e aposta no caos institucional como forma de defesa Editorial da Folha nesse domingo Apesar de seu partido pertencer à base aliada, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) se comporta como adversário do governo Dilma Rousseff (PT) desde o dia em que se elegeu presidente da Câmara dos Deputados. Derrotou o petista Arlindo Chinaglia (SP) na disputa pelo comando da Casa e fez da oposição ao Planalto seu esporte favorito. Manobrando para aprovar a redução da maioridade penal, defendendo a liberação obrigatória de verbas para emendas parlamentares ou propugnando por uma reforma política tirada da cartola, Cunha impôs seguidos e custosos reveses aos interesses do Executivo. Embora tenha se situado em campo contrário ao do governo em tantas questões substantivas, o presidente da Câmara jamais havia chegado ao extremo de cortar relações. Assim que se sentiu ameaçado pelas investigações sobre o... Leia mais

Especialistas discutem possíveis cenários depois do rompimento de Cunha com o governo

Sábado 18, julho 2015

A separação nada amistosa do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) com o governo Dilma Rousseff — anunciada nesta sexta-feira em uma coletiva de imprensa, um dia depois de ter sido acusado de pedir pessoalmente US$ 5 milhões em propina ao consultor Julio Camargo — pode isolar o deputado dentro do PMDB. Na prática, Cunha fez oposição contundente ao governo do PT desde o dia em que sentou pela primeira vez na cadeira da Presidência da Câmara. Mas agora o faz de forma oficial. O gesto intempestivo do peemedebista deixa incerto o seu futuro político e os rumos que o PMDB tomará daqui para frente. A pedido do GLOBO, cientistas políticos analisaram o contexto político atual se baseando em três cenários. Veja abaixo os principais pontos: Cenário 1: Base aliada segue Cunha e rompe com o governo   A adesão do PMDB e de outros partidos ao rompimento é bastante improvável. A tradição do PMDB é a negociação, não o confronto direto, como costuma acontecer... Leia mais

Conexão TCU e as maracutais do Cunha

Sábado 18, julho 2015

  A PGR (Procuradoria-Geral da República) trabalha com a informação de que Fernando Soares, o Fernando Baiano, apontado como operador de propinas para setores do PMDB, sofreu ameaças para não fazer acordo de delação premiada. Ele teria recebido recados do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para se manter calado. Os procuradores seguem discutindo, no entanto, a hipótese de pedir o afastamento de Cunha da presidência da Câmara, como antecipou a coluna. A alegação seria a de que, no cargo, ele tem poder para tentar atrapalhar as investigações. A decisão só não foi ainda tomada porque há o temor de que o STF negue o pedido. Cunha põe fim a uma relação que nunca existiu com o governo Dilma Relação entre o presidente da Câmara e a chefe do Executivo sempre foi marcada por conflitos dentro do Congresso Conexão no TCU A UTC pagava por informações privilegiadas e acesso ao Tribunal de Contas da União Além de pagar propina para obter... Leia mais

Eduardo Cunha está descontrolado..Porém, cheio de dólares

Sábado 18, julho 2015

  O anúncio do rompimento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, foi considerado uma demonstração de descontrole, mesmo no PMDB. A nota divulgada pelo vice Michel Temer, presidente do PMDB e articulador político do governo, deu o tom no partido, dizendo que a iniciativa de Cunha “é a expressão de uma posição pessoal, que se respeita pela tradição democrática do PMDB”. Temer ressalta, no entanto, que “toda e qualquer decisão partidária só pode ser tomada após consulta às instâncias decisórias do partido”. O rompimento foi discutido na noite de quinta-feira, em jantar no Palácio do Jaburu, residência de Temer. O vice recebeu Cunha e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O presidente da Câmara comunicou que não tinha mais condições de permanecer na base do governo. Segundo relatos feito ao Globo, Temer ainda tentou, em vão, demovê-lo do anúncio de ontem, repetindo o apelo interno que tem feito pela “sobriedade” do PMDB em momento... Leia mais

Cedraz admite falar com Pessoa sobre Angra

Sábado 18, julho 2015

  O escritório de Tiago Cedraz admitiu ontem que foi procurado por Ricardo Pessoa para atuar em processo do Tribunal de Contas da União (TCU) que discutiu a licitação para obras na usina de Angra 3, de interesse da empreiteira. Em nota, informou ter sido consultado pelo empresário, mas que “a contratação não foi efetivada”. O escritório alegou que “a simples consulta, mesmo com a contratação não sendo efetivada, já foi suficiente para Tiago solicitar o impedimento do pai”. Na época, o ministro Aroldo Cedraz pediu vista do processo numa sessão, justificando que esteve “ausente” nas semanas anteriores. Duas semanas depois, em vez de votar, se declarou impedido, argumentando que não pôde “se debruçar” sobre o caso. O escritório sustenta que o ministro não lhe forneceu na ocasião informações privilegiadas. O Globo revelou na edição de ontem que Aroldo Cedraz, em 14 de novembro de 2012, pediu vista dos autos que... Leia mais

Presidente do TCU vai usar imóvel do filho

Sábado 18, julho 2015

  O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz, se prepara para usufruir de um dos imóveis comprados pelo filho, o advogado Tiago Cedraz, alvo de operação da Polícia Federal que apura suspeitas de tráfico de influência na corte. O ministro faz uma reforma, com direito a itens de luxo, em apartamento da Asa Sul, em Brasília, adquirido por R$ 2,7 milhões pela Cedraz Administradora de Bens Próprios. A empresa, com capital de R$ 20 milhões, foi aberta por Tiago em sociedade com a mãe e mulher do ministro, Eliana Leite Oliveira, como mostrou o Estado na quinta-feira. A obra no apartamento de 250 m², assinada por um dos escritórios de arquitetura mais renomados de Brasília, está em fase final. Há bancadas, pintura feita e ar condicionado. A montagem dos móveis está a cargo de uma requintada loja da capital, cujo projeto descreve como cliente “Aroldo Cedraz de Oliveira”. Um dos responsáveis pela encomenda diz que serviço semelhante ao... Leia mais

Sócio oculto de Cunha convocou o delator. Manobra?

Sexta-feira 17, julho 2015

  Ou a defesa de Fernando Baiano esperava outro tipo de depoimento e deu tudo errado, ou o próprio advogado de Baiano agiu para tornar pública a delação envolvendo Eduardo Cunha A esta altura quase todo mundo já viu o depoimento do executivo da Toyo Setal Júlio Camargo, delator na operação Lava Jato, na tarde de ontem (16), em que ele desvenda – bem ao estilo das pautas bomba de Cunha –,  os bastidores do pagamento de propina de US$ 5 milhões ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por empresas que tinham contratos de aluguel de sondas da Petrobras. Uma reportagem aqui na Rede Brasil Atual descreve os fatos, para quem ainda não se inteirou. O mais curioso no depoimento devastador para o deputados Eduardo Cunha, é que Júlio Camargo depôs na condição de testemunha, convocado  pela defesa de… Continue lendo... Leia mais

Filho do presidente do TCU tem empresa de R$ 20 milhões

Quinta-feira 16, julho 2015

  Um dos alvos na Operação Lava-Jato, filho do presidente do TCU tem empresa de R$ 20 milhões O apartamento de 247 metros quadrados, comprado por R$ 2,95 milhões, não foi o único adquirido pelo filho do presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), o advogado Tiago Cedraz Leite Oliveira, de 32 anos. Uma empresa de Tiago e da mãe, mulher do ministro Aroldo Cedraz, comprou um segundo imóvel, com o mesmo tamanho e as mesmas características, no mesmo bloco na Asa Sul em Brasília. A empresa se chama Cedraz Administradora de Bens Próprios Ltda. e tem um capital de R$ 20 milhões. Pela compra do segundo apartamento, em julho do ano passado, Tiago e Eliana Leite Oliveira, sócios-administradoras da empresa, pagaram R$ 2,725 milhões. Reportagem do GLOBO publicada ontem revelou a ascensão meteórica do advogado desde a chegada do pai ao TCU, em 2007. Ele acumulou clientes, patrimônio, negócios e prestígio político-partidário a partir do momento em que o pai assumiu o... Leia mais

Assessor de Russomano pediu ‘apoio’ a empreiteiro, diz mensagem

Quinta-feira 16, julho 2015

  Mensagens interceptadas pela Polícia Federal no celular do ex-presidente da OAS, José Aldemario Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro e preso da Operação Lava Jato acusado de participar do esquema de cartelização de obras e pagamento de propinas em contratos na Petrobras revelam que um assessor do deputado federal Celso Russomanno (PRB) procurou o empreiteiro um ano antes da eleição de 2014 “para falar sobre apoio”. O parlamentar foi o deputado federal mais votado em São Paulo, com mais de 1,5 milhão de votos, e já se apresenta como candidato do partido à Prefeitura de São Paulo nas eleições de 2016. Na mensagem, Marcos Ramalho, que é funcionário da OAS, avisa que foi procurado por Odilon Manoel Ribeiro, assessor jurídico de Russomanno nas eleições de 2014, para falar com o dono da empreiteira sobre “apoio” ao parlamentar. Ramalho se dirige ao patrão como “Dr Leo” – José Aldemario Pinheiro Filho é conhecido... Leia mais

Imóveis de filho de presidente do TCU somam R$ 13 milhões

Quinta-feira 16, julho 2015

  Alvo da Operação Politeia, o advogado Tiago Cedraz, de 33 anos, ergueu patrimônio milionário à frente de uma banca que atua no Tribunal de Contas da União (TCU), presidido pelo pai, Aroldo Cedraz. Em menos de três anos, Tiago fechou a compra de imóveis de quase R$ 13 milhões e, até abril, figurava como dono de um jato Cessna de dez assentos, conforme levantamento do jornal “O Estado de S. Paulo”. A maior parte dos bens foi adquirida por meio da Cedraz Administradora de Bens Próprios, criada em sociedade com a mãe, Eliana Leite Oliveira, mulher do ministro. Formado em 2006, Tiago é influente no órgão dirigido pelo pai, embora não atue formalmente nos processos que seu escritório mantém na corte – outros advogados atuam nos autos. Conforme autoridades do TCU, Tiago circula por gabinetes discutindo processos e a montagem de equipes nomeadas pelo pai. A atuação de Tiago está sob suspeita desde a delação do dono da UTC, Ricardo Pessoa, na... Leia mais

Ações envolvidas na operação Zelotes totalizam R$ 19 bilhões, aponta Levy

Quarta-feira 15, julho 2015

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou nesta quarta-feira, 15, que não sabe se o banco Bradesco passa por algum julgamento no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). Antes de assumir o comando da Fazenda, Levy era diretor-superintendente do Bradesco Asset Manegement (Bram). Em audiência pública na Câmara sobre a Operação Zelotes, que investiga irregularidades nas decisões do Carf, Levy foi questionado se sabia de algum julgamento com participação do Bradesco. “Não tenho a menor ideia do que acontece ou o que deixa de acontecer com o Bradesco e prefiro continuar assim”, respondeu. Sobre a operação, o ministro ressaltou que as ações envolvidas na investigação totalizam R$ 19 bilhões (e não R$ 74 bilhões como originalmente informado pelo ministro) em processos e envolvem 74 empresas. Ele ressaltou que o ministério acompanha o trâmite judicial. “Estamos acompanhando os procedimentos da Justiça, não adianta querer... Leia mais

O crescimento da Indústria Brasileira de Higiene Pessoal

Terça-feira 14, julho 2015

 O crescimento da Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos colocou o país no terceiro lugar entre os principais mercados do mundo, abaixo apenas dos EUA e do Japão. O faturamento líquido deflacionado, entre 1996 e 2011, passou de R$ 4,9 bilhões (1996) para R$ 29,4 bilhões (2011). No mesmo período, cresceu cerca de três vezes mais do que o PIB e quatro vezes mais do que a Indústria em geral, conforme dados da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC). Os preços do setor, entre 2007 e 2011, cresceram 3,3% no segmento de higiene e 2,7% no segmento de beleza. No mesmo período, o Índice de preços ao consumidor (FIPE) cresceu 5,3%. Em relação à balança comercial, o setor apresentou saldo superavitário 2,25 vezes maior, entre 2002 e 2011. Há 1.659 empresas atuando neste mercado, das quais 20 empresas de grande porte, com faturamento líquido acima dos R$ 100 milhões e que representam 73% do... Leia mais

Alvo da Lava Jato é filho de investigado na Operação Zelotes

Terça-feira 14, julho 2015

O alvo de mandado de busca e apreensão no âmbito da Lava Jato nesta terça-feira Francisco Maurício Rabelo de Albuquerque Silva Filho, é filho de Francisco Maurício Rabelo de Albuquerque Silva, que já figura como investigado na Operação Zelotes. Segue texto corrigido: Alvo de mandado de busca e apreensão no âmbito da Operação Lava Jato cumprido pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira, 14, Francisco Maurício Rabelo de Albuquerque Silva Filho é filho do conselheiro do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) Francisco Maurício Rabelo de Albuquerque Silva, que já figura como investigado em outra operação da PF. A Operação Zelotes, deflagrada em março deste ano, investiga processos relatados por Albuquerque Silva, pai também do líder do PP na Câmara, Eduardo da Fonte (PP-PE). Francisco Maurício Silva Filho também é sócio do irmão Eduardo da Fonte na ADPL Motors. Tanto a empresa quanto a residência do empresário foram alvo de busca e... Leia mais

Retrospectiva Governo Lula

Arquivos

Amigos & Amigos